Kanryo Higaonna -> Chojun Miyagi

chojunmiyagi

Chojun Miyagi nasceu em 25 de abril de 1888. Apesar de ter nascido numa família rica como qualquer jovem às vezes era indisciplinado. Aos 11 anos, foi apresentado a Ryuko Aragaki (avô do Mestre Shuichi Aragaki, Conselheiro Técnico da IOGKF), que tinha 24 anos na época, para aprender karate. Chojun Miyagi apaixonou-se imediatamente pelo karate e tornou -se um estudante muito empenhado. Aragaki reconheceu que ele precisava aprender sob a orientação de um professor cujo karate fosse inigualável, para aproveitar todo o potencial de Chojun Miyagi.

O Sensei Kanryo está na fila de baixo (segundo a contar da direita). No centro da fila de trás encontra-se o Sensei Chojun Miyagi.
O Sensei Kanryo está na fila de baixo (segundo a contar da direita). No centro da fila de trás encontra-se o Sensei Chojun Miyagi.

Em 1902 com 14 anos foi apresentado a Kanryo Higaonna e foi aceite como seu aluno. O Sensei Kanryo tinha 49 anos nessa altura e era conhecido pelo apelido de ‘Ashi no Higaonna’ (que significava “Pernas” Higaonna) por causa de suas pernas excecionalmente fortes. Embora alertado sobre a severidade do treino, as expetativas de Chojun Miyagi foram superadas quando começou o seu treino de Naha-te. O treino que ele recebeu foi intenso e brutal. Chojun Miyagi treinou também fora das suas aulas para fortalecer o seu corpo e para ajudar na sua evolução. O Sensei Kanryo escolheu o Sensei Chojun para aprender toda a arte do Naha-te. Na época, os alunos só aprendiam a Sanchin e outra kata. O treino tinha lugar na casa do Sensei Kanryo e todas as noites este ensinava Chojun Miyagi todo o sistema do Naha-te.

Em 1910 a Primeira Guerra Mundial varreu o globo e Chojun Miyagi foi chamado para o serviço militar obrigatório. Tornou-se um soldado aos 20 anos e foi dispensado aos 22. Correu para casa em Okinawa ao ouvir que a saúde do seu professor se havia deteriorado. Chojun Miyagi desesperadamente queria aprender o resto do estilo Naha-te e também cuidar do seu mestre nos últimos anos de vida. Todos os dias Chojun Miyagi trazia o Sensei Kanryo para a sua própria casa para cuidar e aprender com ele e se tornou o único aluno a aprender todo o Naha-te. O Sensei Kanryo faleceu três anos depois, em 1915. Muitos se referiram a Kanryo Higaonna pelo título de Bushi, significando um distinto mestre das artes marciais. Também em 1915, Chojun Miyagi cumpriu o desejo final do seu professor e fez uma viagem a Fuzhou na China. Viajou de barco na mesma rota que o Sensei Kanryo teve muitos anos antes dele. Explorou e pesquisou a área, visitando a casa de Ryu Ryu Ko e demonstrou a kata que tinha aprendido a um homem idoso que tinha sido aluno de Ryu Ryu Ko. Durante a sua estadia de dois meses, Chojun Miyagi registou muita informação sobre Ryu Ryu Ko.

Quando regressou a Okinawa, agora com 29 anos, começou a ensinar Naha-te e trabalhou para desenvolver o sistema de luta que herdara. O Sensei Chojun aprendeu a kata Rokkishu na China e o seu desenvolvimento posterior resultou na criação da kata Tensho. Também pesquisou e criou exercícios de aquecimento para o corpo. Além disso Chojun Miyagi reviu a kata Sanchin para ser executada em uma linha, movendo-se para a frente e para trás, em vez de girar ao redor. Chojun Miyagi ensinou a partir de sua casa e também num espaço que alugou na Escola Comercial de Naha.

A polícia local preocupada com a reputação de Chojun Miyagi alertou-o sobre as consequências do mau uso do karate. Chojun Miyagi explicou a verdadeira natureza dos seus ensinamentos e, ao fazê-lo, foi contratado para ensinar na academia de polícia de Okinawa. Em 1926 Chojun Miyagi fundou o Karate Kenkyu Club, reunindo os principais mestres dos principais estilos de karate para se unir sob o objetivo comum de espalhar o verdadeiro karate para as gerações futuras. Os Mestres deste clube foram Chojun Miyagi, Chomo Hanashiro, Choyu Motobu e Kenwa Mabuni.

Treino em 1932 sob orientação do Sensei Chojun Miyagi
Treino em 1932 sob orientação do Sensei Chojun Miyagi

Em 1930 recebeu um convite para realizar uma demonstração em Tóquio na celebração da sucessão do príncipe herdeiro Hirohito ao trono. Chojun Miyagi não pôde comparecer, mas em vez disso enviou o seu melhor aluno, Jin’an Shinzato, em seu lugar. Após a demonstração de Shinzato, alguém que viu sua performance perguntou-lhe como era o nome do seu estilo. Shinzato não sabia como responder, porque Naha-te era apenas um nome informal. Ele contou esta história a Chojun Miyagi que pensou muito sobre o nome a atribuir ao seu estilo de karate. Dentro do famoso texto de artes marciais, o Bubishi, há um poema chamado Kenpo Haku (os oito poemas do punho) que o Sensei Chojun gostava particularmente:

A mente é uma com o céu e a terra.
O ritmo circulatório do corpo é semelhante ao ciclo do sol e da lua.
A maneira de inalar e exalar é dura e suave.
Aja de acordo com o tempo e a mudança.
Técnicas ocorrerão na ausência de pensamento consciente.
Os pés devem avançar e recuar, separar e encontrar.
Os olhos não perdem nem a mínima mudança.
Os ouvidos escutam bem em todas as direções.

O terceiro poema, ‘Ho Go Ju donto’, é onde Chojun Miyagi encontrou o nome ‘Go Ju’. Em seguida, acrescentou “Ryu” ao nome para nomear formalmente o estilo Goju-ryu (literalmente significa Estilo Duro e Suave) em 1930. Chojun Miyagi começou a promover o karate Goju-Ryu de forma mais intensa. Em 1934, passou quase um ano inteiro ensinando Goju-Ryu no Havai. Realizou também demonstrações no continente japonês para popularizar o karate. Em 1940 adicionou duas novas katas ao sistema Goju-Ryu, a Gekisai Dai Ichi e a Gekisai Dai Ni. Chojun Mkyagi queria que o karate fosse mais acessível a pessoas de todas as idades e queria uma kata básica para tornar o treino mais popular.

Sensei Chojun Miyagi testando a execução da kata Sanchin em 1941.
Sensei Chojun Miyagi testando a execução da kata Sanchin em 1941.

O seu trabalho promocional para espalhar o Goju-Ryu foi tão bem sucedido que o Butokukai japonês reconheceu o seu estilo como uma arte marcial oficial. O lendário Goju-Ryu do Sensei Chojun também lhe valeu o apelido de ‘Nukitui Magushiku’ pela sua capacidade de rasgar carne crua com as suas próprias mãos e tornou-se bastante famoso por isso em Okinawa.

Com a Batalha de Okinawa durante a Segunda Guerra Mundial milhares de pessoas morreram em Okinawa. Chojun Miyagi e a maioria da sua família tiveram sorte em escapar para o norte da ilha, no entanto muitos de seus alunos não tiveram essa hipótese. A morte de Jin’an Shinzato, em particular, foi uma grande perda para Chojun Miyagi e de repente o futuro do seu karate era incerto. Terminada a guerra, voltou para Naha para descobrir que a maioria da cidade havia sido destruída e que seus registos históricos sobre Ryu Ryu Ko haviam sido destruídos e perdidos para sempre. Foi um momento desesperante para a sobrevivência do Goju-ryu e Okinawa.

 ⇐ Retroceder                                                    «Início»                                                         ↑ Voltar ao topo
Partilhar no:Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInEmail this to someone